Os postais são suporte de um projeto artístico específico. Faço uso dos correios para o envio destes poemas visuais, a uma lista de poetas, historiadores, artistas visuais, jornalistas, professores, instituições e revistas culturais, no Brasil e no exterior. Criando assim uma rede de cumplicidade, onde cada participante toma posse do poema visual recebido. O poema visual como obra de arte integrante de uma renovação contínua do meio cultural em que existe.

Estes poemas visuais estarão expostos no Museu de Arte Contemporânea - MAC / USP - Prédio Bienal - Parque do Ibirapuera - São Paulo, abertura dia 13 de Setembro de 2012 a partir das 14 horas.

Poema Visual - Fados

Poema Visual - Fados
Poema Visual enviado em Dezembro de 2010

6 comentários:

Renata Gravura disse...

Fados...nada sei sobre eles, nada entendo dessas músicas, mas me soam sempre tão tristes!
Um frasco de Fados, para mim é um fraco de lágrimas...

Anônimo disse...

Olá, cara Constança,
Mas que ótima idéia! Ficou uma maravilha este seu novo blog! Uma bela maneira de compartilhar ainda mais esse seu gesto artístico integrador que é o de enviar pelo correio estas suas verdadeiras jóias (frascos selados e carimbados artisticamente.
Fico muito honrada em ser uma das destinatárias, desde o início.
Receba o abraço e a admiração da
dalila teles veras

isa disse...

Fado é tristeza, mas também alegria
fado é choro, mas também sorriso
fado é linguagem,
fado é saudade
fado é força, firmeza, é estado constatado,
fado é ser e estar,
fado é sentir, é grito, esperança
fado é amar e compartilhar
fado é identidade de um povo, o meu, o nosso.

Constança Lucas disse...

Fados, sinas, caminhos

caras amigas Renata, Dalila e Isabel
gostei muito que viessem visitar este meu blog de poesia visual

abraço as três
Constança

Cadjoo disse...

Tive a oportunidade de assistir a uma apresentação de fado em Julho, muito bela.

Recebi seu cartão postal e este pote repleto de emoções trouxe a lembrança daquele momento, que foi tão bom!

Obrigado Constança

nydia bonetti disse...

Constança, só encontrei este blog hoje. Que bárbaro! Já estou linkando. Abraço!